Livros Técnicos.

Materiais para pais, educadores, graduandos e  demais profissionais

ATIVIDADES EM ÁREAS NATURAIS

Estar em meio à natureza nos leva ao encantamento, que é a base para a descoberta, além de contribuir para o nosso desenvolvimento físico, mental e emocional, e nos inspirar a participar, de forma plena, de processos de transformação social. Vivenciar a natureza nos convida a perceber as sutilezas dos ambientes externo e interno de cada um. Esse aprendizado, delicado e transformador, é o alicerce para a educação socioambiental que, por sua vez, é essencial para um hoje melhor e um amanhã melhor ainda.

Mendonça, Rita. São Paulo: Ecofuturo, 2017, 85 p.

atividades em áreas naturais.png
noname.png

VAMOS CUIDAR DO BRASIL: conceitos e práticas em educação ambiental na escola

A obra propõe o diálogo com professor@s sobre como a educação pode contribuir para a construção de sociedades sustentáveis. É resultado de um trabalho que debate, dentro da escola, o local e o global, compartilhando conhecimentos e saberes com a comunidade, trazendo lições que podem ser extraídas no dia-a-dia da escola.

BRASIL, Ministério da Educação, 2007, 245 p.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA

Reúne reflexões sobre teorias e práticas da educação ambiental na escola, contribuindo para o diálogo institucional e para a adoção de novas modalidades de geração de conhecimento. Retrata temas, caminhos e desafios de pesquisa e ensino sobre o tema.

Santos, R. M (org). São Paulo: ANAP, 2015, 73 p.

panc.png

GUIA PRÁTICO DE PANCs:

plantas alimentícias não convencionais

 

A sigla PANC, em outras palavras, quer dizer “todas as plantas que poderíamos consumir, mas não consumimos”. Produzir uma PANC significa reconhecer espécies nativas cujo uso está desaparecendo e valorizar a nossa biodiversidade. Muitas plantas não convencionais, por sua resistência e produção variada, garantem um alimento saudável, disponível o ano todo e sem grande custo.

Instituto Kairós, 2017, 44 p.

GUIA PRÁTICO DE PANC PARA ESCOLAS

O objetivo deste material é demonstrar que todas as escolas podem ter hortas com PANCs, em diferentes dimensões e condições, adequadas a cada realidade. Em que a natureza e a agroecologia podem proporcionar abundância alimentar, quando integradas ao cotidiano das escolas, capaz de enriquecer a alimentação dos alunos, o processo de aprendizado, as relações humanas e a cidade. Desse modo, há estímulo à produção e ao consumo locais, à Segurança e Soberania Alimentar e Nutricional.

Instituto Kairós, 2018, 61 p.

ROTEIRO DIVERSIDADE E EVOLUÇÃO

O tema da evolução da vida é indissociável da diversidade, entendida em suas múltiplas abordagens: biológica, ambiental, étnica e cultural. O roteiro foi formulado por profissionais de educação ambiental do JB e professores e visa esclarecer os conceitos e as possibilidades que nos permitem entender nosso lugar e tempo a partir de um cenário que começa num jardim.

Instituto de Pesquisas JBRJ, 2009, 25 p.

RAÍZES DA CIDADANIA: gênero no jardim

Relatório do I Curso de formação e reflexão sobre gênero e meio ambiente. Como forma de inclusão social, o programa de Equidade de Gênero tem como objetivo fortalecer, qualificar e tornar visível a presença feminina no universo do JBRJ.

Instituto de Pesquisas JBRJ, 2015, 40 p.

CATÁLOGO PLANTAS E FUNGOS DO BRASIL (I E II)

A presente edição da Lista do Brasil, com cerca de 41.000 espécies e tendência de crescimento pela existência de grandes porções do território nacional inexploradas, confirma que nosso país apresenta a maior diversidade florística do planeta. Além do significado científico, a obra é histórica por compilar os dados da flora nacional após 106 anos da publicação da obra Flora brasiliensis,  de Karl Friedrich von Martius.

VOL I, Forzza, R. et al. Instituto de Pesquisas JBRJ, 2010, 875 p.
VOL II, Forzza, R. et al. Instituto de Pesquisas JBRJ, 2010, 830 p.

PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA

A lista de famílias, gêneros e espécies, além de dados sobre a formação vegetal onde cada uma ocorre, indicação de endemismo e a categoria de ameaça nas diferentes listas vermelhas publicadas. Acessível, a obra representa uma ferramenta para pesquisa, conservação e desenvolvimento sustentável para o estudo das plantas localizadas na Floresta Atlântica.

Stehmann, J. R. et al. Jardim Botânico RJ, 2009, 516 p.

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ESTADUAIS (RS)

Um índice visualmente bonito para as áreas de proteção do Rio Grande do Sul, incluindo parques e reservas biológicas, estações ecológicas e refúgios de vida silvestre. Apresenta dados e as principais características principais de cada área, além das espécies que estão sendo resguardadas.

Rio Grande do Sul, RS, 2017, 32 p.

Depósito Biológico possui Licença Creative Commons de Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional baseado no trabalho disponível neste site.

Cite como PESCKE, I.K. Depósito Biológico. 2020. Disponível em www.depositobiologico.com.br.

Sobre     Contato

  • facebook
  • instagram
88x31.png